quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Falando Sobre Afinações - Cordas

Olá, 
Nesta postagem vou colocar as afinações padrão de alguns dos instrumentos de cordas mais usados na nossa música atualmente, sempre lembrando que contamos as cordas do agudo para o grave.












Guitarra de 6 cordas:

1 - MI 
2 - SI
3 - SOL
4 - RÉ
5 - LÁ
6 - MI










Guitarra de 7 cordas:

1 - MI 
2 - SI
3 - SOL
4 - RÉ
5 - LÁ
6 - MI
7 - SI












Guitarra de 8 Cordas:

1 - MI 
2 - SI
3 - SOL
4 - RÉ
5 - LÁ
6 - MI
7 - SI
8 - FÁ#












Guitarra de 9 Cordas:

1 - MI 
2 - SI
3 - SOL
4 - RÉ
5 - LÁ
6 - MI
7 - SI
8 - FÁ#
9 - DÓ#










Guitarra de 12 cordas:
(São 6 cordas duplas)


1/2 - MI/MI 
3/4 - SI/SI
5/6 - SOL/SOL
7/8 - RÉ/RÉ (oitava abaixo)
9/10 - LÁ/LÁ (oitava abaixo)
11/12 - MI/MI (oitava abaixo)









Baixo Elétrico de 4 cordas

1 - SOL
2 - RÉ
3 - LÁ
4 - MI










Baixo elétrico de 5 cordas

1 - SOL
2 - RÉ
3 - LÁ
4 - MI
5 - SI









Baixo elétrico de 6 cordas

1 - DÓ
2 - SOL
3 - RÉ
4 - LÁ
5 - MI
6 - SI











Violão de 6 cordas 

1 - MI
2 - SI
3 - SOL
4 - RÉ
5 - LÁ
6 - MI











Violão de 7 cordas

1 - MI
2 - SI
3 - SOL
4 - RÉ
5 - LÁ
6 - MI
7 - DÓ











Violão de 12 cordas
(São 6 cordas duplas)


1/2 - MI/MI 
3/4 - SI/SI
5/6 - SOL/SOL
7/8 - RÉ/RÉ (oitava abaixo)
9/10 - LÁ/LÁ (oitava abaixo)
11/12 - MI/MI (oitava abaixo)








Bandolim
(4 cordas duplas)

1/2 - MI/MI
3/4 - LÁ/LÁ
5/6 - RÉ/RÉ
7/8 - SOL/SOL








Cavaquinho

1 - RÉ
2 - SI
3 - SOL
4 - RÉ


Estes são os instrumentos de hoje, caso tenha alguma dúvida, sugestão ou correção, pode colocar nos comentários.

Até

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Música...

   Afinal de contas o que é a música? É arte? É um ofício? É uma ciência? Ou é tudo isto? Qual a função da música para o mundo e a sociedade? Como seria o mundo sem a música? Animais fazem música? Ou este é um conceito apenas Humano? Estas perguntas sempre vem a minha cabeça quando paro para pensar sobre esta minha companheira.
  Qual é o nosso papel como transmissores desta entidade? Quais são os nossos deveres e responsabilidades? Como podemos mudar o mundo através da música? Este é um texto com mais perguntas do que respostas... O que eu posso afirmar é que a música é uma força que move as pessoas e desperta as mais diversas emoções.
  Em um cenário onde cada vez menos a música tem importância, mesmo no meio do entretenimento (vide os organizadores do Rock in Rio, que declararam que pelo menos 60% do público do festival vai pela experiência - leia-se ir para tirolesa, montanha russa, roda gigante,... - ou seja, de cada 10 pessoas apenas 4 se interessam pela música, isto em um Festival de música!) nós escolhemos a missão de transmiti-la por meio do ensino ou por meio da execução. É uma tarefa ingrata e com diversos percalços, mas percorrer o caminho em companhia da música deixa tudo muito mais agradável.
  Esta postagem foi inspirada pelas datas comemorativas relacionadas a música nesta época:

20 de Setembro  - Dia do Baterista
27 de Setembro  - Dia do Cantor
01 de Outubro  - Dia mundial da Música
07 de Outubro  - Dia do Compositor Brasileiro 

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Vídeo - Versão de "O Ovo" (Hermeto Pascoal)


  Olá a todos, volto a postar material aqui, após um longo período. Para atualizar: Este foi um vídeo gravado para homenagear o dia do Rock (dia 13 de Julho).


  Para não perder o costume...

  Apesar de ser chamado de "dia mundial do rock" ele é comemorado apenas aqui no Brasil. Ele foi instituído na década de 90 por duas rádios de Rock paulistanas, que começaram a mencionar a data em sua programação utilizando este nome. A data foi escolhida por ter sido a data que, em 1985, foi realizado o LIVE AID, um show simultâneo na Inglaterra e nos Estados Unidos, que reuniu grandes nomes do rock e cujo o objetivo era mostrar ao mundo o problema da fome no continente Africano, tendo conseguido arrecadar entre 40 e 50 milhões de libras.

  Outro fatos interessante para o mundo do Rock, 20 anos depois do LIVE AID, o mesmo organizador fez o LIVE 8, que foi realizado em dois dias (2 e 6 de julho de 2005) e teve como objetivo, além de comemorar os 20 anos do LIVE AID, pedir aos países do G8 que perdoassem as dívidas externas dos países mais pobres do mundo e que se criassem regras comerciais internacionais mais justas. Neste evento foi a última vez em que o Pink Floyd se apresentou junto de Roger Waters, após mais de 20 anos de separação.

  Abaixo segue o link da entrevista do Criador dos eventos LIVE AID e LIVE 8, Bob Geldof:


  Nos Estados Unidos eles comemoram o dia do rock em uma outra data, dia 9 de julho, uma homenagem ao programa AMERICAN BANDASTAND, que popularizou o Rock and Roll no país e teve sua estréia nesta data.

  Bem isto é tudo por hoje. Assistam o vídeo, e digam o que acharam nos comentários (daqui, do youtubu, do facebook, do twitter, da onde você achar melhor...)

Até!

domingo, 24 de maio de 2015

Ufc - Weidman x Belfort e os Brasileiros

   Hoje ocorreu a disputa de cinturão entre o Chris Weidman e o Vitor Belfort. E a vitória foi do Weidman, após ele levar o Belfort para o chão, ficar por cima e castiga-lo até o juiz terminar a luta. E o que isto tem a ver com este blog? Bem vamos lá...
   Desde pequeno, mesmo antes de começar a aprender música, sempre fui fã de filmes de Kung fu, apesar de nunca ter levado nenhuma arte marcial a sério nos momentos em que pratiquei alguma, sempre fui bastante interessado nelas. Quanto ao UFC eu cheguei a assistir os primeiros em VHS quando ainda eram apenas combates entre artes marciais para ver qual era a mais eficiente. Nestes primeiros eventos, onde todas as lutas aconteciam em apenas uma noite, fazendo com que o campeão chegasse a lutar 3 vezes em uma noite em lutas que podiam demorar muito mais do que as de hoje. Neste período o Jiu Jistu brasileiro foi extrememante dominante (o que era o principal objetivo do idealizador do evento), então os lutadores brasileiros foram alçados aos postos de melhores do mundo. Depois destes primeiros eventos eu parei de acompanhar o UFC e voltei a acompanhar um pouco mais após a luta entre Anderson Silva e Demian Maia.
   Dentre as artes marciais eu nunca me interessei muito nas em que o foco principal é a queda e o trabalho de chão, portanto o jiu jitsu nunca me instigou a estuda-lo. Falo isso para deixar claro que o posionamento que darei aqui será de um leigo na referida arte.
   Vitor belfort, um veterano do evento, e um faixa preta no jiu jistu brasileiro a um longo tempo, ou seja um brasileiro que teoricamente dominou (faixa preta) uma arte brasileira (Jiu Jitsu brasileiro[JJB]).
   Chris Weidman, 7 anos mais novo do que o Belfort, quando o belfort foi o mais novo campeão do UFC aos 19 anos ele ainda estava na puberdade. Nesta época o Vitor já era faixa preta em JJB, conseguida sob a tutela de um dos membros da Família Gracie, a criadora do estilo. O Weidman veio do wrestlng e pegou a sua faixa preta apenas a pouco tempo (também com um mestre da família Gracie). E a luta foi decidida no chão, quando o Belfort não conseguiu defender a queda, após castigar o Weidman com alguns golpes certeiros, inclusive fazendo o campeão sangrar. No chão ele não conseguiu sair da guarda do Weidman e sofreu com o Ground and pound (quando um lutador que está por cima, na guarda, desfere potentes socos ou cotoveladas no adversário no chão).
  O Belfort foi considerado dominador da arte suave [JJB] pelo menos 20 anos antes do Weidman, pelos mesmos mestres, ele teve duas décadas a mais para aperfeiçoar a técnica e mesmo assim caiu em um campo onde teoricamente ele teria mais domínio.
   Aonde quero chegar com isto? O costume que temos no Brasil de "fazermos a fama e deitaramos na cama" O JJB foi arrasador no início porque era desconhecido dos praticantes de outras artes marciasa, portanto não existiam técnicas de defesa para ele. Quando os eventos se tornaram MMA (Mixed martial arts - artes marciais mistas) todos começaram a treinar não apenas uma, mas várias artes e sempre entre as artes treinadas estava lá o JJB, ou seja passou de surpresa para padrão, enquanto isso os lutadores brasileiros sempre com a fama de grandes mestres nesta arte. Mas um problema que temos em nossa cultura é o nosso costume de ser aperfeiçoar constantemente é praticamente zero. Ou seja os lutadores continuaram se vangloriando da fama, mas cada vez mas são ultrapassados por lutadores de outras nacionalidades, que estudaram os Brasileiros e se preparam seriamente para enfrenta-los.
   Nós Brasileiros temos o péssimo hábito de quando chegamos no topo achar que a fama vai nos manter por cima, ou as vezes simplesmente gostamos de ter, e manter, a fama, mesmo que ela seja injusta. E neste comportamento errôneo deixamos de lado dois fatores importantes em qualquer área da vida: Planejamento e estratégia. 
   Após a luta relâmpago a impressão foi de que o Weidman se preparou estudando o Vitor, descobrindo o seus pontos fracos e montando estratégias de luta. Enquanfo o Belfort fez um planejamento baseando-se em seus pontos fortes e ignorando a possibilidade de cenários negativos, ou seja ele até chegou a realizar um planejamento, mas este seria superficial, contando que tudo daria certo e o seu plano "A" seria contundente, daí a não necessidade de outras estratégias.
   Agora vem o porquê eu achar que isto tem relação com a música. Na música também temos a fama de termos (alguns dos) melhores músicos do mundo. O problema é que muitos músicos que alcançaram grandes conceitos parecem que decidiram que ali já estava bom, que sua fama iria sustent-los, e parece que pararam no tempo, decidiram que não era mais necessário estudas e se aperfeiçoar. 
   Poucas semanas atrás o guitarrista Kiko Loureiro foi anunciado como o novo guitarrista do Megadeth, uma das maiores bandas de metal do mundo, e com isso voltou um pouco da aura de que  os Brasileiros são os melhores e blá blá blá... Acontece que se você for estudar a história do Kiko Loureiro ele tem um perfil que em nada se parece com de um Brasileiro. Lá fora os Brasileiros são conhecidos por sua criatividade e espontaneidade, mas também pelo seu "apreço" pelo atraso e descompromisso... O Loureiro foi um cara que sempre procurou continuar se aperfeiçoando, mesmo estando em uma posição onde a maioria se daria por satisfeita e decidiria estar no ápice, sendo desnecessário o aprimoramento, uma condição que inexiste, principalmente no campo da música.
   Agora com o Kiko no Megadeth também surgiu a onda de que o mundo vai reconhecer os grandes talentos nacionais e que temos "os melhores músicos do mundo".  Só que temos que parar de querer a fama, mas não trabalhar para mantê-la. Alguns dos melhores músicos do mundo estão aqui no Brasil, na Argentina, nos Estados Unidos, no Canadá, no México, na Jamaica, no Reino Unido, na França, no Japão, na Coréia do Sul,... Já deu para entender né? O que vai nos fazer estar entre os melhores não é um fator mágico que temos por sermos Brasileiros, mas sim nosso esforço, foco, presistência e resiliência. Temos que aprender a planejar e criar estratégias para as mais adversas situações, ao contrário do que pensamos aqui isso não poda a criatividade, mas abre espaço para ela ser utilizada em mais áreas e situações.

Até!  

terça-feira, 10 de março de 2015

Dia do guitarrista (Ou Dia del Guitarrista)

Olá, hoje venho aqui para falar deste dia, dia do cara que não sabe parar de tocar quando a banda está conversando, daquele cara que consegue ficar horas a fio hipnotizado estudando um mesmo trecho (levando os ouvintes casuais de seu treino a loucura!).


Hoje é DIA DEL GUITARRISTA!!

Sim, isto mesmo que você leu "DEL GUITARRISTA". No começo do ano eu entrei na internet buscando pelas datas comemorativas relativas a música, e descobri várias. Também tentei buscar o porquê de cada data, o dia da BOSSA NOVA por exemplo, 25 DE JANEIRO, foi escolhido por ter sido a data de nascimento de TOM JOBIM. Porém a explicação para o dia do guitarrista eu ainda não tinha encontrado, até poucos dias atrás, quando descobri que esta data na verdade começou na Argentina. Neste dia Nasceu  ROBERTO ANIBAL NAPOLITANO conhecido como "PAPPO" ou  "El carpo", ele foi um grande guitarrista de Rock da Argentina e faleceu em 2005. Para homenagea-lo começaram a fazer um movimento para comemorar o dia nacional do guitarrista na data de seu nascimento. Existe inclusive um projeto no senado Argentino para que este dia seja oficializado como o "DIA DO GUITARRISTA DE ROCK NACIONAL". Pelo visto herdamos esta data de nossos "hermanos"!
De qualquer forma parabéns para todos nós guitarristas, sejamos Argentinos, Brasileiro, Americanos, Ingleses, Japoneses, Russos, Chilenos, Portugueses, Espanhóis ou qualquer outra nacionalidade, por que a música é uma lingua universal!

Para terminar eu deixo um link para ouvirmos um pouco da Guitarra do Pappo



Até

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Dia do Compositor ou "E precisa estudar para isso?!"

Olá, na primeira postagem do blog venho aqui para dar os parabéns a todos os compositores! Mas, além disso, venho também para puxar um debate sobre esta função tão essencial para a nossa arte: 

"Composição não se estuda! Isso é uma coisa que vem do coração!"


A música é arte, mas também não podemos esquecer que ela tem a ciência e a técnica por trás dela. Ok todos conhecemos pelo menos um exemplo de músico(musicista) que nunca "estudou" composição e compõe lindamente (exemplo mais famoso, Sir Paul Mccartney). "Estudou" entre aspas porque, a partir do momento em que se estuda harmonia, aprende escalas, arpejos,... você já está estudando ferramentas de composição. A pessoa pode nem ter estudado estas matérias formalmente, mas no mínimo a prática do instrumento e a audição de seus artistas favoritos faz ela aprender com a experiência.

   E o curso superior de composição? Para que fazer, se o, considerado por muitos, maior compositor popular de todos nunca nem chegou perto de uma? Um dos segredos está na frase anterior compositor popular , no meio erudito é onde realmente acontecem as experiências de vanguarda, que mais tarde algum artista popular interessado vai pesquisar sobre, e levar a fama de revolucionário/gênio por isso. Na faculdade de composição você não vai para aprender a compor um tango, ou um samba, ou rock, lá você entrará em contato com novas ferramentas e formas de composição e pesquisará novas descobertas, lá você será instigado a refletir sobre a composição e a música em geral. 
   Quer aprender a compor gêneros populares? Esses se aprendem apenas na prática, indo para a Rua? Também não, para isso existem os cursos técnicos, lá você tem contato com todos as ferramentas tradicionais de composição (na faculdade você também revê, e se aprofunda, nestas ferramentas, porém não apenas nelas também aprendendo técnicas contemporâneas).
   Resumindo, você pode ser um(a) excelente compositor(a) sem uma faculdade ou curso técnico, aprendendo na vida prática, mas, como dizia um professor da minha faculdade, o estudo formal vem com o intuito de lhe apresentar atalhos para o conhecimento, o que na rua poderia-se levar anos para aprender, na escola pode-se captar em meses, mas por favor (!!) vamos acabar de vez com este senso comum de que composição não se estuda e que depende apenas de uma inspiração divina, que paira acima da cabeça de pessoas especiais. Gosta de música? Tem vontade de compor? ESTUDE o seu instrumento, ESTUDE composição, formalmente ou não, mas tenha consciência que uma bela canção advém muito mais da genial transpiração do compositor do que de uma divina inspiração, esta é apenas a introdução daquela.

OBS: Sim, conheço a a história que Paul Mccartney ouviu Yesterday em um sonho, mas estamos falando do compositor de maior sucesso da música popular mundial.